O auxiliar técnico Lucas Silva, pela primeira vez auxiliar direto do técnico José Carlos Serrão, destacou a experiência adquirida a frente do cargo durante do Campeonato Paulista da Série A2.

No começo da temporada, ele começou como segundo auxiliar do então técnico Cléber Gaúcho. Com a saída do treinador e de seu auxiliar Denis Augusto a vaga foi aberta. Serrão chegou ao clube e lhe fez o convite para ser o seu braço direito no comando do Grená, e Lucas não pensou duas vezes antes de aceitar a proposta.

“Para mim foi uma alegria muito grande quando o Serrão me convidou para ser auxiliar direto dele. Eu já vinha há dois anos como segundo auxiliar do clube. Eu me sentia preparado para assumir esse cargo esse ano”, revela Lucas Silva.

Identificado com o torcedor do Touro dos Canaviais, antes de se tornar auxiliar técnico, Lucas Silva jogou profissionalmente por 17 anos. O ex-lateral teve passagens por clubes como Paulista de Jundiai-SP, Juventude-RS, Remo-PA, Gama-DF, Chapecoense-SC, São José-SP, Nacional-AM, Ferroviária-SP e o Sertãozinho-SP.

No Grenazão, Lucas vestiu a camisa grená em 2001 e conseguiu acesso para o Touro da Série B1 para a A3. Ele jogou na terceira divisão do ano seguinte e voltou ao time para a Série A1 de 2008. Depois passou por outras equipes e, em 2013, voltou ao Sertãozinho para mais uma Série A3, e ficou até 2016, como atleta, conquistando o título do campeonato.

Após pendurar as chuteiras, Lucas, de 38 anos, virou segundo auxiliar técnico em 2017 e, em 2019, o primeiro.

“Sempre me senti preparado para a função. Fiz o curso lá na CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e joguei profissionalmente por 17 anos, então, graças à Deus foi tudo bem. Este ano, foi uma parceria muito boa. O professor Serrão me deu muita liberdade para trabalhar e colocar a metodologia que a gente entende que é boa para o futebol em prática. Procurei junto com a comissão técnica aplicar meus conceitos e também junto com professor. Para mim foi muito gratificante. A gente espera agora é dar continuidade a esse trabalho”, finaliza Lucas Silva.

Comentários

Deixe uma resposta